O ronco pode ser um indicativo da presença de apneia do sono na infância, doença caracterizada por interrupções na respiração da criança durante sua noite de sono, reduzindo consequentemente o teor de oxigênio em seu sangue.

A apneia do sono tem se tornado cada vez mais comum entre crianças, e em idades cada vez mais precoces, muitas vezes antes dos dois anos. A doença pode atingir crianças de todas as faixas etárias, incluindo os recém-nascidos, mas incide principalmente sobre crianças na idade pré-escolar.

Existem tratamentos capazes de combater a apneia do sono em crianças, mas o diagnóstico precoce é um fator determinante na eficácia dos mesmos.

Impactos da Apneia do Sono na Infância

A redução de oxigênio no sangue desencadeado pela apneia do sono na infância pode provocar impactos irreversíveis na saúde da criança e interferir negativamente em seu desenvolvimento social, cognitivo e físico, uma vez que provoca danos em estruturas cerebrais relacionadas à memória, aprendizagem e habilidades em geral.

A síndrome pode também provocar alterações no crescimento da criança, levando-a a um retardo de crescimento e até mesmo a alterações cardiorrespiratórias em casos mais graves, como a hipertensão pulmonar.

Além do ronco, os sintomas mais comuns da doença são: respiração pela boca, movimentos intensos durante o sono, xixi na cama, e, além das alterações físicas, alterações comportamentais, como déficit de atenção e hiperatividade, baixo rendimento escolar, entre outros.

Muitos dos danos físicos, comportamentais e intelectuais decorrentes da apneia do sono na infância são irreversíveis, nos casos que não recebem o tratamento adequado.

Apneia do Sono na Infância – Sinais de Alerta

O ressonar pode ser um sinal de alerta de apneia do sono. Não necessariamente a criança que ressona apresenta apneia do sono, mas é válido observar este fenômeno no caso do ressonar ser muito frequente. Estes episódios também merecem atenção, diagnóstico e tratamento.

Outro sinal de alerta para a doença é o sono agitado da criança, que pode ser consequência do esforço respiratório realizado por ela durante a noite. Daí então entram os sintomas de transpiração excessiva e os episódios de xixi na cama.

Além disso, os pais devem estar sempre alertas às alterações comportamentais dos filhos, tais como irritabilidade e hiperatividade, assim como aos indicativos de perda de apetite e perda de peso.

Apneia do Sono na Infância – Causas e Fatores de Risco

A apneia do sono é causada, na maioria das vezes, pela hipertrofia (aumento do tamanho) das amígdalas e adenoides. Existem outras causas da apneia do sono em crianças, que geram grupos de risco:

  • Fatores genéticos e histórico familiar;
  • Malformações na base do crânio/faringe;
  • Crianças com trissomia 21;
  • Obesidade;
  • Presença de determinadas doenças metabólicas.  

Apneia do Sono na Infância – Diagnóstico e Tratamento

O diagnóstico precoce da apneia do sono é fundamental para evitar que a criança sofra de prejuízos cerebrais e danos irreversíveis à saúde. Assim sendo, diante dos sintomas de apneia do sono apresentados pelo seu filho, não hesite em buscar ajuda médica prontamente, para obter um diagnóstico específico.

O tratamento da doença pode ser cirúrgico, medicamentoso, entre outras possibilidades. O tratamento adequado para cada caso deve ser prescrito pelo neurologista infantil, médico especialista em diagnosticar e tratar a apneia e outros distúrbios do sono em crianças.

Fique atento aos sinais de alerta e não prorrogue o início do tratamento da apneia do sono de seu filho. Os impactos negativos causados pela doença podem ser revertidos através do tratamento prescrito pelo especialista.

Apneia do Sono na Infância
5 (100%) 52 votes

Dúvidas e Sugestões Aqui: