Vacina da Febre Amarela e Complicações Neurológicas

0

A vacina da febre amarela é constituída de vírus vivo e atenuado. De fato, existe a possibilidade da aplicação acarretar reações mais graves, mas são raros os casos: menos de 1% das pessoas vacinadas sofrem dessas reações.

Embora a vacina seja desenvolvida com o próprio vírus vivo atenuado, é uma composição muito segura e eficaz, geralmente bem tolerada e com efeitos leves.

As reações vacinais variam de leve a grave intensidade. De 100 milhões de aplicações, apenas 4 delas acarretam em doenças ligadas ao sistema neurológico, podendo surgir até 30 dias após a recepção da dose.

Vacina da Febre Amarela

Vacina da Febre Amarela e Complicações Neurológicas

As complicações neurológicas ocasionadas pela vacina da febre amarela geralmente surgem entre 14 e 28 dias após a aplicação da dose. Tratam-se de doenças graves, porém raramente fatais: na maioria dos casos, as vítimas apresentam uma boa evolução e recuperam-se completamente, a partir do tratamento adequado.

No Brasil, os casos mais graves tendem para doenças de cunho neurológico como encefalite, meningite e doenças autoimunes que afetam o sistema nervoso central e periférico. A meningoencefalite é a mais comum das doenças neurológicas ocasionadas pelo vírus da vacina.

Conheça algumas complicações neurológicas e sintomas relacionados à vacina da febre amarela:

  • Meningoencefalite;
  • Síndrome de Guillain Barré;
  • Encefalomielite disseminada aguda;
  • Cefaleia intensa e prolongada;
  • Febre;
  • Encefalite, meningite e doenças autoimunes no sistema nervoso central e periférico;
  • Desordens motoras que lembram AVC;
  • Desordem de consciência;
  • Convulsões.

As doenças neurológicas ocasionadas pela vacina geralmente surgem como consequência da imunidade baixa. Por isso é importante avaliar individualmente os casos e não tomar a vacina da febre amarela quando há contraindicação.

Pessoas com imunidade elevada são capazes de combater o vírus atenuado da febre amarela aplicado na vacina e criar anticorpos. Entretanto, pessoas com baixa imunidade não conseguem produzir tais anticorpos e têm chance de desenvolver uma doença causada pelo vírus.

Contraindicações da Vacina de Febre Amarela

Existem alguns perfis mais suscetíveis a reações graves da vacina de febre amarela, como contração de doenças de cunho neurológico. Pessoas que apresentam esses perfis não devem tomar a vacina:

  • Crianças com menos de 9 meses de idade;
  • Pacientes infectados pelo vírus HPV;
  • Pacientes sintomáticos e com imunossupressão;
  • Portadores de câncer ou AIDS;
  • Pessoas com histórico de reação anafilática em resposta a substâncias presentes na composição da vacina, como ovo de galinha.

Vacina da Febre Amarela e Complicações Neurológicas – Diagnóstico e Tratamento

Em caso de reações mais graves à vacina da febre amarela, como o aparecimento de complicações neurológicas, procure a unidade de saúde mais próxima. Durante o atendimento médico o paciente será diagnosticado, e de acordo com a gravidade de seu caso, poderá até ser internado.

O diagnóstico é realizado através da análise do líquido cefalorraquidiano (LCR) com PCR para febre amarela. Ele testa a presença de vírus e de anticorpos específicos do vírus da febre amarela no organismo do paciente.

O tratamento adequado varia de acordo com a especificidade de cada caso, e por isso cada paciente deve ser avaliado individualmente. Diante da manifestação dos sintomas, procure o Neuropediatra para uma avaliação!

Vacina da Febre Amarela e Complicações Neurológicas
5 (100%) 116 votes

Dúvidas e Sugestões Aqui: